Tags

, ,

Este post é uma tradução por Eu desde o post de Pastor Sugel Michelen em espanhol do seu blog:

http://blogs-es.thegospelcoalition.org/sugel-michelen/trece-razones-a-favor-de-la-vigencia-del-dia-de-reposo-y-su-conexion-con-el-dia-del-senor/

© Por Sugel Michelén. Todo Pensamiento Cautivo. Usted puede reproducir y distribuir este material, siempre que sea sin fines de lucro, sin alterar su contenido y reconociendo su autor y procedencia.

  1. O homem criado ao imagem e semelhança de Deus tem o dever de imitar-o, é nosso Deus estabeleceu em sua obra criadora um padrão de 6 dias de trabalho e 1 dia de repouso (no 4to mandamento do Decálogo Deus mesmo faz essa conexão entre Seu exemplo é nosso dever, comp. Êxodo 20:8-11)

 

  1. Ao finalizar o seu criação Deus bendisse o 7mo dia e o santificou, diz em Gênesis 2:1-3. De maneira que o dia de repouso não foi instituído por Deus no Sinai, nem foi desenhado exclusivamente para o povo de Israel.  Se trata duma ordenança da criação, como o matrimônio e o trabalho, estabelecido por Deus para o benefício do homem, como diz o Senhor em Marcos 2:27.

 

  1. O dia de repouso supre das necessidades básicas do homem: a necessidade que temos de dar-lhe repouso a nossos corpos e a necessidade de ter comunhão com Deus sem os impedimentos próprios duma vida de trabalho no resto da semana.  Pelo tanto, se trata duma bendição é um privilégio, não de uma camisa-de-força da que seria melhor livrar-se.

 

  1. O dia de repouso foi incluído nos Dez Mandamentos, o resumo da lei moral de Deus, escritos em duas tábuas de pedras pelo mesmo Deus. Esses Dez Mandamentos possuem uma importância singular no conjunto das leis mosaicas.

 

  1. Paulo ensina em Romanos 2:14-15 que ainda os gentios quens não conhecem a Palavra de Deus tem a obra dessa lei moral escrita em suas consciências. Pelo tanto, essa lei moral segue sendo o estandarte divino para julgar o que é pecado e o que não é pecado (comp. Romanos 3:20, 4:15, 7:7, 1 João 3:4). Se essa lei moral já não estivera vigente estos textos não teriam ninguém sentido.

 

  1. Uma das benções centrais que Deus promete na Nova Aliança é escrever a Sua lei em nossas corações (Jeremias 31:31-34). Em outras palavras, Deus não prometeu anilar os Dez Mandamentos, senão dar-nós a capacidade de apreciar e guardar os Dez Mandamentos.  É em ninguém lugar do Antigo Testamento apresenta a possibilidade de reduzir os 10 mandamentos ao 9.

 

  1. Nosso Senhor JesusCristo disse expressamente em Mateus 5:17-20 que Ele não veio a anular a lei e os profetas. Esta expressão “a lei e os profetas”assinala tudo o Antigo Testamento. De maneira que o Senhor está estabelecendo claramente que Ele não veio a anular, senão a cumprir, as ensinas de todo o Antigo Testamento.  Agora bem, O que significa esse? Várias coisas. Como bem assinala o Robert Martin, esse quer dizer que Cristo veio a obedecer perfeitamente a lei moral de Deus, a sofrer a maldição de seu desobediência em lugar de Seu povo, a cumprir todos os tipos e as cerimoniais da lei cerimonial, a estabelecer o reino para o qual as leis civis apontavam e a cumprir todas as profecias que se fizeram em quanto a Ele.  Mas agora notem algo importante.  A partir do versículo 18 o Senhor diz explicitamente que os súbditos de Seu reino deviam tomar muito sério as demandas éticas dessa lei (versículos 18-20). O que implica esse no relativo aos Dez Mandamentos?  O Senhor JesusCristo e sumamente claro ao respeito nos versículos 21-22, 27-28.  Cristo não veio a anular esses mandamentos, senão a ensinar aos Seus o verdadeiro alcance década um deles.  Alguém pode dizer que o Senhor não mencionou aqui o 4to mandamento, mas tampouco mencionou o primeiro, o segundo, o terceiro, o quinto, o oitavo, o noveno, e o décimo.  Ele escolheu 2 dos 10 para mostrar o verdadeiro alcance dos mandamentos da lei moral de Deus.

 

  1. Durante o seu ministério terreno nosso Senhor JesusCristo guardou o quarto mandamento concernente ao dia de repouso mais do que ninguém outro mandamento do Decálogo.   Em vez de anular-o, o Senhor purificou essa ordenança de todas as ataduras impostas pelos escribas e fariseus, e que faziam desse dia uma carga difícil de sobrelevar.

 

  1. O Novo Testamento ensina que os Dez Mandamentos conformam uma unidade inquebrantável (Tiago 2:8-11); de maneira que não se pode anular um dos Dez Mandamentos sem afetar o resto.  Para explodir um globo não tem que apertar-o por várias partes ao mesmo tempo.  É suficiente com que aperte por um solo lado para explodir-o.  Pois o Decálogo é como um globo; qualquer mandamento que alguém viole, violenta o globo completo.

 

  1. Paulo ensina claramente que a lei moral de Deus resumido nos Dez Mandamentos segue sendo a norma de vida para os crentes da nova aliança (comp. Romanos 7:7, 12, 14 – e espiritual no sentido de que tem um origem e carácter divino, 1 Coríntios 2:13, é no sentido de que regula nossa conduta interna, não unicamente nossa aparência externa; 18, 21-8:4).

 

  1. O padrão estabelecido por Deus para Seu povo no Novo Testamento segue a mesma frequência de reunião que de Seu povo no Antigo: uma vez à semana.

 

  1. A obra redentora de Cristo não anula a necessidade que temos de dar-lhe repouso a nossos corpos uma vez à semana, e de ocupar-nos de nossa relação com Deus duma maneira especial, sem os impedimentos próprios do resto da semana. Até que chegarmos ao céu precisamos um dia de repouso.

 

  1. Em Apocalipse 1:10 o apóstolo João se refere a um dia da semana como “o dia do Senhor”; e é geralmente aceitado que João se está referindo ali ao domingo, o dia no qual a igreja acostumava congregar-se para celebrar a ressurreição de nosso Senhor JesusCristo.